Microfranquias atraem cada vez mais a geração “millenial”

Avessos a modelos de trabalho tradicionais, jovens encontram uma alternativa atraente neste modelo de negócio

Conectados às redes sociais 24 horas por dia, escolarizados e com um sentimento de pertencimento. Essas são algumas das características dos ‘Millenials’, pessoas na faixa dos 26 aos 35 anos, e que, segundo pesquisa recente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), lideram um grupo que é a maioria entre os donos de microfranquias no País.O sucesso desse tipo de negócio entre a chamada Geração Y tem explicações. Além do baixo investimento de até R$ 90 mil, o formato foge dos modelos de trabalho convencionais por poderem ser comandados de casa e contar com horários flexíveis. E além disso, muitas vezes funcionam apenas com um computador com acesso à Internet, uma linha telefônica ou a partir de uma rede de contatos.

De acordo com o fundador e CEO da Flyworld Viagens –  microfranquia de turismo  –, Paulo Atencia, cada vez mais os ‘Millenials’ apostam nessa fatia do mercado. “Muitos desses jovens já são formados ou doutorados, mas preferem empreender para ter um equilíbrio maior entre o trabalho e outras áreas da vida, o que favorece o investimento em uma microfranquia”, destaca.

O executivo também alerta para outro fator que tem contribuído para os nascidos entre os anos de 1980 e 1990 escolherem o franchising. “Muitos sonham em ter o próprio negócio, mas sentem a falta de experiência administrativa. No entanto, o modelo oferece todo o suporte necessário, o que diminui bastante os riscos de o investimento dar errado, desde que se sigam todas as orientações da franqueadora”, explica Atencia.

Independentemente da idade, é importante se preparar antes de empreender. “Não basta gostar de uma determinada área. É preciso conhecer mais detalhadamente o ramo, pesquisar sobre a concorrência, fazer cursos de capacitação para melhorar a gestão, bem como a atuação no segmento. E, claro, se dedicar muito para o sucesso do negócio”, finaliza Paulo Atencia.